VANGUARDA NOTÍCIAS

Vagner Mancini espera intensidade de volta na quarta-feira

Por Sergio Santos | 29/10/2019 10:24

Avaliando que o Atlético não teve a mesma intensidade da vitória sobre o Santos, na rodada anterior, o técnico Vagner Mancini afirmou que a equipe rendeu um pouco abaixo do esperado na derrota por 2 a 0 para o São Paulo, neste domingo, no Morumbi.
O treinador espera que o Galo volte a apresentar mais vibração no jogo de quarta-feira, contra a Chapecoense, na Arena Independência.
"Antes de colocar a cara do Vagner Mancini no Atlético, temos que resgatar a cara do Atlético, um time de intensidade, agressivo, que marca lá em cima, que tem velocidade. É isso que quero e busco. Muitas vezes, a gente consegue ter o resultado imediato, mas, hoje, a gente não teve isso em alguns momentos do jogo e, nesses momentos, demos chances ao São Paulo. Já conversei sobre isso com os atletas no vestiário. É necessário que a intensidade seja maior. Sabemos que a torcida está chateada, e com razão, porque não pode ver o Atlético jogando bem um jogo e mal no outro, assim como a gente também fica. É importante que, já na quarta-feira, a gente apague rapidamente aquilo que foi visto hoje em termos de oscilação e volte a jogar um futebol extremamente competitivo, porque é isso que nos torna fortes", afirmou o comandante alvinegro.
Ressaltando que o Galo não teve o mesmo ímpeto do triunfo sobre o Santos, Mancini disse que o futebol reserva momentos distintos.
"Hoje, o Atlético não fez um bom jogo, muito aquém daquilo que a gente sabe que pode ser e que deve ser. Domingo passado, o time fez um jogo muto interessante diante do Santos, com uma velocidade muito grande. Hoje, a gente não viu essa intensidade toda e, sempre que o Atlético não jogar com intensidade, ele vai sofrer na partida porque, além do DNA do clube, é a característica dos jogadores. Então, temos que botar intensidade a todo instante. Em alguns momentos, a gente teve isso no jogo. A partir do momento em que tomamos o segundo gol, o Atlético teve um domínio, adiantou a marcação e fez com que o São Paulo tivesse um pouco de dificuldade na saída, mas oscilou muito ao longo da partida", analisou o treinador atleticano.

Réver reforçou as palavras do comandante: "A gente não pode oscilar tanto assim de um jogo para o outro. Dentro de casa, a gente faz grandes jogos e, fora de casa, muito abaixo. Então, isso vem custando muito caro para a gente. Temos que melhorar, evoluir, e espero que, nas próximas partidas, a gente consiga isso", disse o zagueiro.
"Não podemos deixar que essa oscilação aconteça. Não podemos ser tão fortes e agressivos dentro de casa e, fora de casa, onde tem que ter essa agressividade, a gente acaba deixando de lado. Então, é algo que a gente precisa trabalhar, tem que estar no DNA, até porque a camisa do Atlético pede isso e, se você não tiver isso, alguma coisa está errada", completou o capitão.