VANGUARDA NOTÍCIAS

Engenheiros não utilizaram equipamentos que indicariam rompimento de barragem em Brumadinho

Por Sergio Santos | 30/01/2019 09:55

Os engenheiros da Vale que foram presos na manhã dessa terça-feira teriam atestado que as estruturas da barragem que se rompeu em Brumadinho eram seguras. Em documentos enviados pelo Ministério Público à Justiça estadual, André Yassuda, César Augusto Paulino e Makoto Manba informaram que as estruturas das barragens se encontravam em consonância com as normas de segurança necessárias.

Já os outros dois funcionários detidos, Ricardo de Oliveira, que era gerente de meio ambiente, saúde e segurança, e Rodrigo Artur Gomes Melo, gerente executivo operacional, responsável pelo complexo minerário, estavam diretamente ligados ao licenciamento e funcionamento das estruturas das barragens.

A Justiça estadual mineira determinou busca e apreensão nas residências dos investigados e de seus celulares. Ainda segundo o órgão, havia meios para se evitar o ocorrido. São sensores capazes de captar, com antecedência, sinais de rompimento dessas estruturas.

Porém, os recursos não foram usados ou considerados pelos responsáveis.