VANGUARDA NOTÍCIAS

Com início avassalador Cruzeiro atropela o Boa por 3 a 0

Por Sergio Santos | 24/02/2018 18:54

Desde o início de 2018, o técnico Mano Menezes vem fazendo um pedido para seus jogadores. O treinador celeste quer seu time cada vez mais ‘mortal’ no início dos jogos. E, se o time titular ainda não vem atendendo seu desejo, os reservas fizeram exatamente o que Mano tem pedido.

Com um início de jogo avassalador, o Cruzeiro não tomou conhecimento do Boa Esporte, e venceu por 3 a 0, no Mineirão, neste sábado, em partida válida pela 8ª rodada do Campeonato Mineiro. Os gols foram marcados por Rafael Sóbis, aos dois minutos de jogo e aos 41 do segundo tempo, e Mancuello, aos 39 do primeiro tempo.

Com mais essa vitória, o Cruzeiro chegou aos 22 pontos e se garantiu matematicamente sua classificação para a próxima fase. De quebra, o time e se isolou ainda mais na liderança da competição. Agora todas as atenções do Cruzeiro se voltam para a Copa Libertadores, já que o time faz sua estreia na competição continental na próxima terça-feira, em Buenos Aires-ARG, diante do Racing, às 21h30 (de Brasília).

Pelo Campeonato Mineiro, o time celeste volta a campo no próximo domingo, às 11 horas, no Independência, para o grande clássico contra seu arquirrival Atlético. Já o Boa Esporte, encara o Tupi, às 16 horas, do próximo sábado, em Juiz de Fora.

O jogo. Com os reservas querendo mostrar serviço, o Cruzeiro partiu para cima do Boa. E, logo no primeiro minuto, Raniel recebeu em profundidade, driblou Fabrício e caiu. O árbitro entendeu que não houve o choque e deu apenas o tiro de meta. Porém, no minuto seguinte o Cruzeiro abriu o placar. Após boa jogada pela esquerda, Mancuello cruzou rasteiro para Rafael Sóbis, que na pequena área, teve apenas o trabalho de escorar para o fundo do gol.

Após o início avassalador, o Cruzeiro recuou após marcar seu gol, e só voltou a ameaçar o gol do Boa, aos 17 minutos, em cobrança de falta frontal, feita por Mancuello. De pé esquerdo, o argentino tentou colocar no ângulo direito de Fabrício, mas a bola passou sobre o travessão. Dois minutos depois foi a vez de Thiago Neves arriscar de fora da área. O camisa 30 chutou colocado nas mãos de Fabrício.

Aos 22 minutos, por muito pouco o Cruzeiro não ampliou o placar. Primeiro com Mancuello que recebeu frente a frente com Fabrício, mas chutou fraco para a defesa do goleiro do Boa. No rebote, Thiago Neves, na entrada da área chutou cruzado e a bola explodiu na trave esquerda. Aos 31, Thiago Neves puxou o contra-ataque e tocou para Rafael Sóbis, que arriscou o chute cruzado para ótima defesa de Fabrício. Aos 33, finalmente o Boa criou sua primeira oportunidade. Jhon Cley arriscou de fora da área, mas a bola passou sobre o gol de Rafael.

De tanto tentar, o Cruzeiro ampliou o placar aos 39 minutos. Raniel recebeu no meio-campo e, sem olhar, tocou de primeira para Mancuello que passava em suas costas, deixando o argentino sozinho no campo de ataque. Com liberdade, o camisa 21 caminhou com a bola até ficar cara a cara com Fabrício, e apenas escolheu o canto para marcar o segundo gol celeste.

No último minuto do primeiro tempo, quase o Cruzeiro marcou o terceiro. Após cobrança de escanteio, Dedé subiu mais que todo mundo e cabeceou forte para o gol, mas Fabrício fez uma grande defesa.

Segundo tempo. Com o placar consolidado, o Cruzeiro parece que deixou a vontade nos vestiários. Tanto é que até a metade da segunda etapa não produziu nenhuma jogada de perigo ao gol do Boa, porém, com a maior posse de bola, também não correu nenhum risco. Tanto é que somente aos 24 minutos, o Boa assustou o gol de Rafael. Sapé recebeu pela direita e chutou cruzado. A bola passou raspando o gol do Cruzeiro.

O susto parece ter acordado o Cruzeiro, que voltou a controlar a partida e aos 30, quase marcou o terceiro. Lucas Romero recebeu o lançamento pela direita, e arrisca o chute cruzado para uma ótima defesa de Fabrício. Cinco minutos depois, o goleiro do Boa salvou o time novamente. Henrique lançou Arrascaeta, que na entrada da área, de frente para o gol, colocou no canto direito de Fabrício que se estivou para fazer a defesa.

A partida já se encaminhava para o final quando o Cruzeiro marcou mais uma vez. Arrascaeta que tinha acabado de entrar, fez boa jogada pela esquerda e passou para Rafael Sóbis. De frente para o gol, o atacante chutou no canto direito de Fabrício para fazer o terceiro do Cruzeiro e por números finais a partida. (Com O Tempo)