Fiocruz diz que primeiro lote de vacina contra o coronavírus poderá ser produzido ainda neste ano

Fiocruz estabelece parceria com Universidade de Oxford para vacina da COVID-19 (Imagem: reprodução/ AP)
Fiocruz estabelece parceria com Universidade de Oxford para vacina da COVID-19 (Imagem: reprodução/ AP)
Vanguarda Notícias 29/06/2020 07:19 96

Através de iniciativa do Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) participa de acordo com a empresa biofarmacêutica AstraZeneca para acesso a potencial vacina contra o novo coronavírus, desenvolvida pela Universidade de Oxford.


De acordo com Mauricio Zuma, diretor de Bio-Manguinhos, Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz, nesta fase da parceria serão definidas questões jurídicas e intensificadas as discussões técnicas, para estabelecer o processo de produção.


Segundo ele, na primeira fase, o Brasil receberá o ingrediente farmacêutico ativo pronto, do laboratório Britânico AstraZeneca, e passará a atuar nas fases subsequentes de envasamento, rotulagem, embalagem do produto, além da produção do princípio ativo da vacina.


O cronograma prevê o envio de dois lotes dos ingredientes vacina, o 1º em dezembro 2020, e o segundo, em janeiro 2021. Caso comprovada a eficácia, o país receberá 70 milhões de doses.


Quando o país estiver com a capacidade de produção toda instalada, a estimativa é que poderá produzir 40 milhões de doses, por mês . 


Segundo o diretor, a definição dos critérios de prioridades cabe ao Ministério da Saúde, mas ele acredita que os primeiros grupos a receberem a vacina sejam de pessoas mais vulneráveis, profissionais de saúde e segurança pública.

 

Fonte: Agência EBC